Diário da Viagem a Bratislava

Fui para Bratislava de Bus porque era a meio caminho de Viena e assim conseguia descansar e conhecer uma nova cidade e país.
Toda a gente me dizia que Bratislava não era nada por aí além mas mal acabei de chegar já era tarde e fui comer pizza e a senhora ofereceu-me 2 fatias grátis. E eu tenho bem guardado no coração pessoas que me oferecem pizza.

OPINIÃO PESSOAL

Achei as pessoas muito simpáticas e a cidade também.
Não sou fã da expressão: “Basta ires um dia que vês tudo”, mas para quem anda por ali a passear entre Budapeste/Vienna/Praga aconselho vivamente passar um dia aqui. 

Vi quase tudo o que queria e saí satisfeito.
Bratislava tem uma vantagem grande: Não é uma cidade muito turística por isso não tem muita gente. Ainda assim tive de esperar 15 minutos para tirar uma fotografia a uma estátua porque estava a haver uma tour com 274 chineses.

ESTÁTUAS

Bratislava tem várias estátuas famosas, eu destaco uma – Schoner Náci – que era de um senhor real não-famoso/histórico que andava pela baixa de Bratislava sempre feliz a espalhar boa disposição pelas ruas. Quando morreu decidiram homenageá-lo e fazer uma estátua.

Isso é bonito, gosto do conceito de homenagear figuras históricas, mas também gosto que se homenageie pessoas normais que tentam simplesmente colocar um sorriso nas pessoas (olha para mim a tentar sacar uma estátua em Lisboa).

COMIDA TÍPICA

Fui a um restaurante que não digo o nome porque paguei 7 euros pelo prato e nem me fizeram um desconto por eu ter 1000 seguidores no Instagram.
Pedi Dumpling de batatas porque era o prato tipico e a melhor forma de entrar em contacto com novas culturas é através da comida.
O prato que veio era pequeno e eu logo aí fiquei aborrecido. Piorou quando comi apenas metade porque é enjoativo.

SUGESTÕES PARA VISITA

Destaco:

– A vista lá em cima do castelo sobre o rio (O castelo em si não é nada de especial, na minha modesta opinião)
– A igreja azul
– A parte velha da cidade (não se diz velha, diz-se idosa)
– O UFO na ponte que apesar de ser… bom, diferente, faz-me sempre lembrar a Guerra das Estrelas.

GESTÃO DE EXPECTATIVAS

Acho que como muita coisa na vida, aqui é importante gerir expectativas. Não vão a achar que é uma cidade incrível e vão divertir-se. Se por acaso não gostarem dos monumentos, da arquitectura ou das vistas, pelo menos a cerveja é barata.

CASTELO DEVIN

O Castelo Devin é um dos mais antigos na Eslováquia, apesar de estar em ruínas actualmente. Começou como sendo apenas um forte e ao longo de séculos foi usado e melhorado, por estar localizado estrategicamente numa montanha e na confluência do Rio Danúbio e do Rio Moravia, até que em 1809 foi destruído pelo Napoleão!
Mas isto foi só um bom aparte (Trocadilhos históricos!).
Quem tiver interesse sobre a Guerra Fria, a Cortina de Ferro entre o Bloco Soviético e o Oeste localizava-se mesmo à frente do Castelo. Era uma zona extremamente sensível e havia segurança extra, instalações militares e arame farpado. Actualmente está um pequeno monumento de homenagem às vitimas que, na altura, tentavam fugir para o Oeste.

COMO CHEGAR LÁ

Conseguem ir para a vila que rodeia o castelo com o autocarro 29, é a maneira mais simples. Os bilhetes podem ser comprados em Quiosques por Bratislava ou numa máquina na estação a 20 metros da paragem. Custa 90 cêntimos, salvoerro.
Para apanhar o 29 não é na estação, é na paragem solitária – Most SNP – mesmo debaixo da ponte UFO (mas do lado da Cidade Velha). A viagem dura mais ou menos 20 minutos.

DICAS GERAIS

Quando chegarem a Devin, essa vila também é bonita para se dar uma volta antes de se entrar no complexo do Castelo – que custa mais ou menos 2 euros também.
Quando eu fui não tinham WC a funcionar – e pelo que li isso já acontece há algum tempo, por isso façam a gestão fisiológica antes de irem.
A vista lá em cima é muito bonita, mas está bastante vento por isso levem um agasalho!

 

——————————

Gostaste do post?
Segue-me no Insta. Por cada novo seguidor um golfinho na Austrália vai sorrir.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Paulo Ricardo Oliveira (@coisoetal) on

Também podes (e deves) comentar e partilhar: