Ljubljana (ou Liubliana, ou Ljubliana – que é aquele híbrido para quem não aguenta a pressão) é a capital e a maior cidade da Eslóvenia.

CAPITAL VERDE EUROPEIA

É uma cidade com bastantes espaços verdes e uma grande preocupação pela natureza, empenho esse que que foi premiado com o prémio de Capital Verde Europeia em 2016. 

LENDA DA FUNDAÇÃO DA CIDADE

Há uma lenda que diz que a cidade foi fundada por Jason – um herói mitológico mas com nome de protagonista do American Pie – que lutou (com a ajuda dos Argonautas) na nascente do rio Ljubljanica (o rio que atravessa a cidade) contra um Dragão e o derrotou.
Por isso, o dragão é o grande símbolo da cidade, só faltava francesinhas e ouvir mais foda&!$ para parecer que estava no Porto!
Diz-se que o nome da cidade vem da palavra eslovaca “Ljubljena”, que significa “Amada”. O que não me espanta nada porque é uma cidade muito fácil de se gostar. Não sei bem como passei de derrotar dragões para todo este romantismo.

VISITA PELA CIDADE

No centro histórico da cidade não se pode andar de carro, o que é excelente! (Para mim, pelo menos, que não tinha carro para andar). A cidade tem também um castelo com uma vista bonita sobre a cidade. Para quem estiver interessado, tem também um funicular para subir. Eu estou naquela fase da minha vida em que pago na boa 3 euros para subir a montanha para um castelo num funicular.
A ponte dos Dragões (uma ponte com 4 dragões) é um dos símbolos da cidade e reza a lenda que quando passa um virgem os dragões abanam a cauda. Comigo abanaram a cauda e ainda se riram por cima. Existem mais uma série de pontes na cidade, destaco a “Ponte tripla” que é um grupo de 3 pontes que liga a parte histórica à parte moderna, onde se encontra uma praça bastante bonita.
É muito fácil andar a passear à volta do rio, na zona nova ou na zona velha, admirar as pontes e o ambiente, observar a muita arte de rua que há por lá, subir ao castelo e ver a vista ou ir a qualquer um dos parques.
Ljubliana é aquela cidade que, mesmo sem tentar muito, consegue facilmente ser cool. O oposto do que eu era na escola, portanto.

HOSTEL

Em Ljubliana fiquei no hostel mais fixe de todos, o Celica. É uma prisão antiga que foi renovada, dormi num quarto que era uma cela. Experiência muito gira mas fiquei sem tomar banho porque deixei cair o sabonete – que ainda por cima era liquido – e preferi não arriscar.

METELKOVA

Isto tudo para dizer que – não sou influencer e então ninguém me paga para dizer aquilo, portanto 2 frases chegam – a zona ao pé do hostel chama-se Metelkova e é um bairro autónomo com muita arte urbana, num local que antes era uma base militar do império austro-húngaro e depois do exército jugoslavo (daí haver a prisão que se transformou em hostel). Quando esses prédios começaram a ficar vazios, porque a Eslovénia se tornou independente, houve activistas a ocupá-los como se fossem deles (chama-se squatting, mas não é tão apelativo como o outro squatting com mulheres com calças justas no ginásio). Historicamente houve alguns confrontos com a polícia, porque não deixa de ser ilegal e também porque se tornou um antro para algumas actividades ilegais, mas com o passar do tempo foi ganhando nome porque atrai muitos turistas através de arte urbana e várias actividades e à noite transforma-se num local de convivio com várias discotecas e bares alternativos. É uma visita interessante porque é quase como se fosse um museu de arte contemporânea a céu aberto. Pareceu-me bastante seguro apesar de ter apanhado discussão entre bêbados e alguma sujidade, faz-me lembrar as ruas do bairro alto às 3 da manhã. Ainda assim, aconselho a toda a gente que vá a Ljubliana a visitar isto.

Para acabar em grande e sempre a manter o bom nível de dicas sobre as cidades por onde passei, em Ljubliana há uma Primark.

 

——————————

Gostaste do post?
Segue-me no Insta. Por cada novo seguidor um golfinho na Austrália vai sorrir.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Paulo Ricardo Oliveira (@coisoetal) on

Também podes (e deves) comentar e partilhar: