Diário da viagem a New York

Dizem que os opostos se atraem. NYC é a cidade que nunca dorme e eu adoro dormir. Como tal adorei Nova York, foi uma das minhas melhores viagens e um dos sítios que mais gostei de conhecer.

Literalmente há de tudo por lá. Quem gosta de arte, de parques, de cultura, de comida, de bares, de discotecas, de vistas, de experiências, de teatro, e muito mais coisas, nem devia ter começado a fazer esta lista. É como estarmos a agradecer alguma coisa e começamos a dizer nomes de pessoas que nos ajudaram: Erro enorme – vai sempre haver alguém que fica de fora. Mais vale dizer: “Obrigado por tudo, vocês sabem quem são.” (Mas se eu ajudar alguém a ganhar algum prémio, eu em especial vou querer menção com o meu nome).
Quem gosta de arranha-céus então, ui.. nem vou ser spoiler.

METRO

O Metro é confuso e não mete medo como muita gente diz (mas eu apanhei muitas vezes o comboio na linha de Sintra por isso tenho escola nisso já).
Agora que é confuso não há como enganar, aliás, o google maps tem indicações sobre ir de X a Y pelo metro e tem as indicações todas em detalhe (“mesmo assim perdeste-te Paulo?” Também ninguém vos perguntou nada, pois não?).
Mas tem tudo em detalhe, chegam a dizer “Desce para o metro na parte nordeste da Rua X e Avenida Y”.
Porque se desces na parte sudoeste desse cruzamento já vais ter a outro sitio nessa paragem com outros metros a irem para outros lados.
É raro andar de metro em Lisboa mas até fiquei com saudades disso.

COMIDA

A comida é bastante cara lá, mas comi sempre bem.
Comi pior no dia em que tive que vender um rim para comprar um hambúrguer, mas de resto foi tudo óptimo.

Estou um bocado preocupado porque acho que em Nova York desenvolvi um fetiche por passadeiras.

TÁXIS

Apanhar taxis é dificil, muita concorrência e muito trânsito. Sabem nos filmes quando o protagonista apanha um taxi rápido para ir ao aeroporto dizer à namorada que a ama e para ela não se ir embora?
Na vida real para fazer isso mais vale ir de uber.
Ou se for em hora de ponta mais vale ir a correr.
Ou então enviar um áudio no Whatsapp.

Facto: Lá no uber podemos pagar menos se formos também com desconhecidos e fizermos mais paragens. Cheguei a ir num uber com mais 2 pessoas e cada uma ia para um sitio diferente.

É giro porque assim em vez de ser awkward com uma pessoa, é awkward com 4.

.

Claro que é a cidade que nunca dorme. Só aquele ecrã do Frozen dá luz até ao Montijo. Assim ninguém consegue dormir.

TIMES SQUARE

Times Square foi giro lá ir visitar.
Se forem a nova york, vão la à noite mas não esperem muito, são apenas outdoors com imenso brilho.

É um sitio que não conseguia ficar muito tempo pela confusão e pela luz. Aquilo é o equivalente visual a uma overdose de açúcar.
Sabem quando os miúdos dão gritos para chamar a atenção? Se os miúdos fossem marcas, Times Square é uma escola inteira.

Ficou a faltar ver uma peça da Broadway
(Dica: Em Times Square há um sitio da TKTS onde se vende bilhetes de última hora mais baratos), mas como alguém muito sábio me disse uma vez: “Tens de deixar coisas por fazer para ter desculpa para lá voltar”.

Em primeiro lugar, gostava que me elogiassem pela minha logistica em ter levado uma tshirt de Brooklyn quando fui a Brooklyn.
Correu muito melhor do que a tshirt de Hollywood quando estava em Marrocos.

PONTE DE BROOKLYN

Ir para Nova York pela ponte de Brooklyn é talvez das melhores experiências e das que mais gostei. Aconselho até irem de metro para Brooklyn (assim também têm um gostinho do que é o metro lá. Que como vos disse é bastante complicado.

BROOKLYN

Em Brooklyn eu tive sorte porque ali na zona ao pé da ponte apanhei um mercado como o mercado da ladra (mas em Nova York por isso com muito mais estilo).
Há também um mercado Time Out nessa zona como o de Lisboa, mas com um rooftop com boa vista.
A humidade em Nova York em Agosto estava altíssima, o que faz com que tivesse sempre a suar. Ainda por cima num dia começou a chover de um momento para o outro (Mas fiquei seco em poucos minutos, por isso não se preocupem comigo). Engraçado também que na ponte encontrei uns portugueses que vieram comigo no voo uns dias antes.
O mundo é mesmo pequeno não é?
Não, foi só sorte. O mundo é enorme.

SUGESTÃO PARA PLANEAREM A VISITA

Eu aconselho que planeiem a visita com base nas zonas. Em cada dia visitem atracções nessa zona. É uma cidade óptima para andar porque é plana mas o problema é que é enorme e então quando se faz planos convém ter isso em conta, e mesmo assim às vezes é muito fácil ver no maps e dizer “Ah, é já ali daqui a 3 quarteirões”. E em Nova York o “É já ali” é meia hora.
Fonte: Experiência própria, quando queria ir de um museu perto do Central Park até uma pizzaria lá “perto”, e cheguei lá uma hora depois, já a repensar todo o sentido da vida.. (Dica: Há pizzarias com fatias a 1 dólar, aproveitem isso).

CENTRAL PARK

O Central Park é aquele clássico. É mesmo bonito e uma lufada de ar fresco. Tem de tudo lá dentro e se querem ver e experienciar tudo é boa ideia dedicar um dia inteiro a conhecê-lo.
É também enorme por isso não façam como eu e arranjem outra pizzaria mais perto sem terem de andar pelo parque inteiro com uma tshirt totalmente suada porque está 80% de humidade e com 2 sacos de compras porque claro que não podia ter feito compras depois de almoçar.

HIGH LINE

O High Line é uma antiga linha de comboio elevada que estava abandonada e então fizeram obras para converter em parque.
Durante o seu percurso temos vários espaços para dar aquele chill básico, vistas da cidade, bancas de comida, actividades para se fazer conforme os dias e vários tipos de arte. É um passeio simples mas muito interessante de se fazer, e numa das pontas tem o Chelsea Market, que é uma antiga fábrica que foi transformada num mercado (acho que é por isso que se chama Market) com lojas e vários sitios para comer.

É fácil identificar um turista em Nova York: É aquela pessoa com cara de parva e boca aberta a olhar para cima sempre.

DICAS GERAIS

Algumas dicas para nova york, umas li, outras disseram-me e outras aprendi:
-Se há alguma carruagem do metro vazia, por algum motivo é. Não vão para essa e usem as outras!

-Existem várias casas de banho públicas com boas condições e grátis. -NYC é bom para andar, mas por amor à santa, não andem o tempo todo, se não no dia seguinte não se mexem. Façam planos por zona e se tiverem de ir ver alguma coisa muito mais longe apanhem o metro

-Depende de quanto tempo fores mas não vais conseguir ver tudo. Vê o que mais te interessa e como disse organiza isso por zonas!

-Não pares no meio da rua para ver o telefone ou tirar fotos (dica também importante para literalmente qualquer sitio no mundo – só que eles lá andam sempre a um ritmo muito rápido).

– Deixa coisas por fazer para teres motivo para lá voltar.

Bonito, acabar mesmo em beleza. 

 

——————————

Gostaste do post?
Segue-me no Insta. Por cada novo seguidor um golfinho na Austrália vai sorrir.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Paulo Ricardo Oliveira (@coisoetal) on

Também podes (e deves) comentar e partilhar: